Temperatuas baixas favorecem perda de peso

As tentações do inverno não contribuem em nada para manter os hábitos saudáveis. O frio pede comidas quentes, saborosas e bebidas encorpadas, com alto teor calórico.

Resistir às delícias proporcionadas pela estação não é tarefa fácil. A boa notícia é que perder calorias também é mais fácil nesta época do ano, segundo especialistas.

 “No inverno, durante exposição ao frio, o organismo perde maior quantidade de calor para o meio ambiente e, portanto, aumenta a produção desse calor para manter a temperatura corporal próxima a 37°C”, esclarece a nutricionista Aline Manenti.

Mas a profissional lembra que esse aumento não é significativo ao ponto de podermos aumentar a quantidade de calorias da dieta ingerindo mais carboidratos, como massas, por exemplo.

“Pelo contrário, a dica é aproveitar que nesta época o gasto calórico é um pouco maior e cuidar da alimentação para eliminar os quilinhos extras. Com o frio, o organismo nos dá ainda mais motivos para a manutenção de uma rotina regrada de exercícios físicos acompanhada de dieta balanceada”, sugere.

Essa é a combinação perfeita, segundo o coach William Vieira, da franquia internacional de academias Sparta 55 Brasil, em Criciúma. Ele salienta a importância de se optar por um estilo de vida saudável durante todo o ano.

“Quando o inverno acaba e as temperaturas sobem, a maioria das pessoas fica desesperada para perder muito peso em pouco tempo. Isso atropela a evolução dos treinos e traz prejuízos à saúde”, alerta.

Para trazer motivação aos cuidados com o corpo, especialmente no inverno, os especialistas falam sobre as vantagens e precauções ao fazer atividades físicas nos dias frios e trazem dicas de alimentos saudáveis para substituir as “bombas calóricas” típicas da estação.

Aquecimento e alongamento: As etapas pré-treinamento devem receber atenção especial no inverno. A musculatura fria e mal alongada fica mais vulnerável a lesões.

Vestimenta ideal: Roupas de material sintético que permitem a transpiração do corpo. Tecidos como algodão e moletom absorvem o suor, configurando um risco de doenças respiratórias em virtude do choque de temperatura do corpo quente com o frio da rua.

Posso treinar gripado (a)?: “Não é recomendado. Os esforços em atividades físicas atrasam a recuperação”, recomenda o coach.

Hormônios da felicidade: Ao praticar exercícios físicos, no inverno ou qualquer outra estação, há a liberação de serotonina e endorfina, substâncias produzidas no organismo que dão prazer e bem estar.

Restrição de carboidratos: Uma boa estratégia alimentar é a preparação de sopas ou cremes, com legumes ou carnes, para aquecer o corpo. “Evite colocar batata e aipim. Opte por moranga, abobrinha, entre outros vegetais que vão dar mais consistência aos caldos. Outro alimento que pode ser adicionado para dar consistência é a biomassa de banana verde, rica em amido resistente, uma fibra que ajuda no processo de saciedade, além de melhorar a saúde intestinal”, indica a nutricionista.

Chás: Ótimos para aquecer o inverno. Além disso, são muito ricos em fitoquímicos, atuando na promoção da saúde e prevenção de doenças crônicas, quando consumidos como parte da dieta usual. “Você pode ainda acrescer aos chás alimentos termogênicos. Este tipo de alimento aumenta a produção e calor no organismo. Dessa forma, a adição de gengibre, canela, pimenta dedo de moça nos chás é uma estratégia interessante, além de produzirem compostos anti-inflamatórios e antioxidantes”, explica a profissional.

Saladas: Trocar saladas cruas por legumes cozidos/refogados também é uma boa opção.

Frutas: Se geladas não caem bem nos dias frios, pode-se comê-las quentes. “A banana ou a maçã podem ser colocadas no micro-ondas com canela e cacau em pó 100%. Além de ter a parte termogênica e hipoglicemiante da canela ainda tem o tripofano do cacau, componente que aumenta a produção de serotonina, neurotransmissor que aumenta a sensação de bem estar e reduz ansiedade”, detalha Aline.

Vitaminas e nutrientes: Para que você atravesse o inverno sem precisar parar a atividade física é importante que através da alimentação você reforce o seu sistema imunológico. Os principais nutrientes envolvidos são vitaminas A, C, D E B6, além dos minerais: zinco, selênio e ferro, gorduras poli-insaturadas da série W3. “O consumo rotineiro dos alimentos fontes desses nutrientes é indispensável, dentre eles: vegetais alaranjados e verde escuros, frutas como acerola, kiwi, laranja, limão, goiaba, cereais integrais e gérmen de trigo, oleaginosas, carnes magras, frutos do mar, como por exemplo sardinha e salmão”, sugere.

Alho: Outro alimento capaz de aumentar a imunidade é o alho. Devido à substância alicina, um imunoestimulante. Porém o alho deve ser macerado e adicionado ao final do cozimento, pois a substância não resiste a altas temperaturas.

Colaboração: João Pedro Alves / Partner Nazario & Bortot Comunicação

Foto: João Pedro Alves / Partner Nazario & Bortot Comunicação

Informações SulinFoco

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: falecom@meusul.com.br

Newsletter