Perícia para apurar causa de incêndio em Tubarão inicia hoj

Peritos devem apontar hoje o que pode ter provocado um incêndio em um apartamento do sétimo andar do prédio residencial Boulevard, em Tubarão. O fogo teve início por volta das 17h15min de ontem. Três pessoas foram socorridas e encaminhadas ao hospital por terem inalado fumaça.

O prédio de alto padrão fica na Rua Conselheiro Mafra, no Centro da cidade. Rapidamente, as labaredas chamaram a atenção. O dono do apartamento estaria dentro do imóvel no momento em que o fogo começou. Ele foi resgatado e, a princípio, sofreu ferimentos em uma das mãos.

Após as primeiras chamas, o Corpo de Bombeiros de Tubarão, com o apoio da guarnição de Capivari de Baixo, iniciou os trabalhos.

Em boletim enviado à imprensa às 20h20min de ontem, o comandante do Corpo de Bombeiros de Tubarão, o tenente-coronel Marcos Aurélio Barcelos, informava que o fogo ficou restrito apenas ao sétimo andar.

“Foi muito complicado acessar o sétimo pavimento, devido ao calor e à fumaça”, diz o comandante. Ainda conforme Barcelos, o mais difícil foi retirar os moradores dos pavimentos acima. “Existiam pessoas a serem resgatadas que foram retiradas pelos bombeiros. Esse resgate demorou um pouco”, conta Barcelos, e completa que os moradores foram autorizados a voltar aos apartamentos não atingidos, porém foram orientados a não pernoitar.

Segundo o comandante, por volta das 20h os trabalhos foram finalizados. “Não há vítimas no local”, esclareceu ele. As chamas foram extintas por volta das 18h30min e os bombeiros seguiram no local por mais tempo para realizar o rescaldo.

Sem confirmação

Ainda ontem, surgiram diversas especulações sobre o que teria provocado o incêndio. Causas que iam desde um aquecedor ligado a curto-circuito. Contudo, nenhuma causa foi apontada até então pelo comando do Corpo de Bombeiros de Tubarão. Hoje pela manhã será iniciado o trabalho pericial para apurar as causas do incêndio, e todos os detalhes vão sair no laudo pericial que será emitido pela corporação num prazo de 30 dias, informa o comandante.

Movimentação e expectativa do lado de fora do prédio após o fogo

Por se tratar de um prédio localizado no Centro de Tubarão e em uma rua bastante movimentada, o fogo chamou atenção e rapidamente a via pública foi tomada por populares e familiares que buscavam informações de moradores, além de viaturas da Polícia Militar (PM), da Guarda Municipal e do Corpo de Bombeiros.

Para segurança, a rua foi fechada. O momento do incêndio coincidiu com o horário em que muitos saíam do trabalho em direção a suas casas. Lojistas, pedestres e quem passava pelo Centro de Tubarão direcionavam seu olhar para o prédio de alto padrão situado nas proximidades da Catedral Diocesana.

Munidos de celulares, populares tentavam registrar o incêndio, que por volta das 18h ainda persistia com labaredas para o lado de fora do prédio. Com a rapidez das redes sociais, quase que instantaneamente vídeos, fotos e toda a movimentação aos arredores da edificação eram repassados aos internautas.

Bastaram os primeiros cliques e vídeos para a rua estar tomada. Por segurança, o local em frente ao prédio foi isolado pelo Corpo de Bombeiros. A PM e os agentes da GMT auxiliavam o fluxo de carros e motocicletas nas ruas adjacentes.

“Nunca tinha visto algo assim tão de perto. Trabalho aqui em frente e quando vimos já havia bastante fumaça e os bombeiros já chegando para atender à ocorrência”, fala um tubaronense.

“Ouvi um barulho e senti a fumaça”

Moradora do sexto andar do prédio, Fátima Althoff saiu assim que sentiu o cheiro de fumaça. Ela conta que estava em casa quando ouviu um barulho diferente. “Parecia que estava se quebrando alguma coisa. Como se fosse vidro. Achei estranho. Em seguida, senti cheiro de fumaça”, lembra a moradora, que reside no prédio há dez anos.

Fátima, ainda nervosa e do lado de fora esperando os bombeiros controlarem o fogo, disse que tudo foi muito rápido. “Não tive tempo de muita coisa. Quando percebi as pessoas estavam saindo e vi que se tratava de um incêndio. Nunca tinha presenciado algo assim”, fala, emocionada, a tubaronense.

Nesse momento, Fátima já era amparada pelo irmão, Antônio Carlos. Momentos antes de a reportagem do DS falar com a moradora, Antônio passou apressado pelas pessoas que acompanhavam o trabalho dos bombeiros. Até então ele ainda buscava pela irmã. “Agora estou mais tranquilo. Estou do lado dela”, falava Antônio enquanto tentava consolar Fátima.

Idoso e PMs inalam fumaça e são atendidos

Um idoso vizinho do residencial Boulevard seguia para sua casa, depois de comprar pão, quando ouviu gritos de socorro. Com a voz fraca por ter inalado fumaça ao entrar no prédio, de dentro da ambulância dos bombeiros, onde recebia atendimento junto a dois policiais militares que o retiraram do edifício, ele conta que largou tudo e entrou.

“Pessoas gritavam que havia um bebê dentro de um dos apartamentos. Larguei tudo e entrei. Nessas horas a gente não pensa muito”, conta o morador, que não conseguiu dar sua identificação antes de ser encaminhado para atendimento no Hospital Nossa Senhora da Conceição – HNSC.

O homem foi retirado do prédio por dois PMs que chegaram assim que o incêndio teve início. Eles, assim como o idoso, não tiveram ferimentos, porém, após os primeiros socorros dos bombeiros, foram levados para avaliação na unidade hospitalar. Todos passavam bem.

Fonte: Sul In Foco

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: [email protected]

Newsletter