Transporte coletivo está mais caro em toda a região

Hoje, para se deslocar entre os bairros de Tubarão, a maioria utiliza seu próprio meio de transporte. Entre automóveis, motocicletas, camionetes, e outros veículos, a Cidade Azul, que conta atualmente com 104.457 habitantes, possui mais de 83 mil veículos em circulação, quase um por pessoa. Nos horários de pico, o trânsito se transforma em um verdadeiro ‘caos’ com tantos automóveis em circulação. Sem falar no aumento da gasolina que atingiu o valor recorde no ano de R$ 3,85 por litro. Aí você se pergunta: por que não usar o transporte público? Pois bem, dona Custódia Nunes, de 52 anos, é uma das tubaronenses que só conta com essa opção. Ela mora no bairro Andrino e trabalha como cuidadora de idosos no Abrigo dos Velhinhos, no bairro São João, do outro lado da cidade. Sem veículo próprio, todos os dias, depende de dois ônibus para chegar ao local de trabalho.

De segunda a sexta, Custódia se ‘vira nos 30’ para não perder os horários e no fim de semana enfrenta dificuldades para se locomover com os horários restritos oferecidos pelo transporte público, sem contar na precariedade dos abrigos e do próprio desconforto do veículo coletivo. Nesta semana, a tubaronense começou a refazer o orçamento, já que a tarifa do ônibus em Tubarão passou a custar R$ 4. “Agora o desconto do passe ficou bem mais caro. Estou pensando seriamente em comprar uma bicicleta, apesar de que levo mais de 40 minutos da minha casa até o trabalho. Nos domingos também tem poucos horários de ônibus e todo mês tenho que guardar um ‘dinheirinho’ a mais para chamar o mototáxi. Tomara que não aumente de novo. Está difícil!”, conta. Custódia é uma entre milhares de trabalhadores que enfrentam dificuldades na maior cidade da região com todos os aumentos (menos o do salário).

Com tantos impasses, parece que uma ‘novela antiga’ que desenrola desde 2012 e envolve o transporte coletivo, será retomada. Uma decisão judicial apontou pelo retorno da licitação de concessão para o transporte público em Tubarão. De acordo com o procurador do município, Marivaldo Bittencourt Pires Junior, nos próximos 15 dias a ação voltará à discussão. “Só vamos dar continuidade ao edital que já existia e cumprir a decisão”, afirma.

 

Tarifas
Em Laguna, também houve aumento
Em Laguna, houve reajuste de 9% na tarifa, que começou a valer no último dia 1º. Após análise da área técnica da prefeitura de Laguna, os cálculos tarifários foram adotados em percentual menor do que o pleiteado pela empresa, segundo o município. A tarifa média do transporte coletivo na cidade subiu dos atuais R$ 3,20 para R$ 3,60.

 

Em Imbituba, pesquisa avalia o transporte público
Atualmente, para se deslocar de um bairro a outro em Imbituba (terceiro maior município da Amurel), o cidadão que utilizar o serviço de transporte público, terá que pagar R$ 3,60 pela passagem de linhas curtas e R$ 4 para linhas longas. Porém, a empresa Santo Anjo, concessionária do serviço na cidade portuária, pretende aumentar o valor da tarifa em torno de 10% e ainda solicita a isenção do Imposto Sobre Serviço (ISS), com o intuito de amenizar o impacto no novo preço. As passagens consideradas de linhas curtas passariam a custar R$ 4 e as de linha longas R$ 4,40.
A Comissão Especial da Câmara de Vereadores, destinada a realizar estudos e tratar dos assuntos relacionados ao Transporte, lançou esta semana uma pesquisa na internet com o objetivo de dar subsídios à Comissão sobre os principais problemas que afetam o cliente final do serviço. “O objetivo é melhorar a mobilidade urbana. Por ser um tema amplo, será tratado pela Comissão por setores separados e distintos”, explica o presidente da Comissão, vereador Beto do Zé Neide. Com base na pesquisa, a comissão irá apresentar um estudo ao poder Executivo para melhorias que devem ser adotadas pela atual concessionária do setor e voltar a discutir o reajuste.

 

Trâmite antigo
A licitação
A prefeitura de Tubarão publicou, em 2012, o edital de intenção de licitação para a concessão do serviço público de transporte coletivo no município. A lei foi aprovada em 2011 e aborda questões como a qualidade dos veículos, plano operacional de cada linha e o preço da tarifa. Em 2013, ocorreu a anulação da licitação com base em um parecer feito pela procuradoria, que entendeu que o edital atrelado ao termo de confissão de dívida – de R$ 33 milhões – inviabilizava a ampla concorrência. E na última semana, por meio de decisão judicial, o edital poderá ser retomado.

Fonte: Notisul 

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: [email protected]

Newsletter