Buscas por vítimas de Brumadinho chegam ao centésimo dia

As buscas por vítimas da tragédia de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, chegaram ao centésimo dia neste sábado, 4. De acordo com último balanço da Defesa Civil, 235 mortes foram confirmadas e 35 pessoas continuam desaparecidas.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros Pedro Aihara, esta já é a maior operação de busca e resgate do Brasil, ultrapassando o trabalho realizado nos deslizamentos na Região Serrana do Rio de Janeiro, em 2011.

Cães farejadores, drones e aeronaves têm participado das buscas. Segundo o Corpo de Bombeiros, os trabalhos seguem diariamente, das 6h às 23h, e com reuniões durante as madrugadas. A operação só será encerrada quando todas as vítimas forem encontradas ou quando não houver mais condições biológicas de buscas.

A Barragem do Córrego do Feijão, da Vale, se rompeu no dia 25 de janeiro. Os rejeitos de minério devastaram a área administrativa da mineradora, incluindo o refeitório da Vale, onde muitos trabalhadores almoçavam. A lama também destruiu plantações e casas de moradores da região. O Rio Paraopeba, um dos afluentes do São Francisco, foi contaminado. A captação de água está interrompida desde o dia do rompimento.

Desaparecidos


De acordo com o médico legista do Instituto Médico Legal (IML) Ricardo Moreira Araújo, mais de 180 segmentos de corpos resgatados da lama ainda aguardam identificação. Ele ressaltou que esses fragmentos podem pertencer a vítimas que já tiveram as mortes confirmadas.

Ainda segundo Araújo, o trabalho é feito seguindo protocolos da Interpol e internacionais para que, além da identificação dos corpos, seja possível a coleta de provas para a investigação. O médico legista afirmou que a meta do IML é identificar todos os corpos e fragmentos resgatados até o "limite biológico", ou seja, quando não houver mais possibilidades de reconhecimento.

Acordos


Quatro acordos extrajudiciais individuais entre vítimas do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e entre a mineradora Vale foram firmados. Os atingidos são representados pela Defensoria Pública de Minas Gerais.

Segundo a Defensoria Pública, os acordos surgiram a partir de um termo de compromisso firmado entre ao órgão e a Vale com o objetivo de agilizar o pagamento de indenizações extrajudiciais, individuais ou por núcleo familiar, por danos materiais e morais.

Fonte: G1

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: [email protected]

Newsletter