Horário político na reta final

Em duas semanas, no próximo dia 29, o horário eleitoral gratuito encerra no rádio e na televisão. É um momento crucial para os profissionais que atuam no marketing das campanhas. 

Preocupados em passar uma imagem positiva de suas candidaturas, os programas adotam caráter emotivo nesta reta final. Políticos abraçados em crianças, pessoas idosas, nas ruas, ao lado de cantores, de políticos de outras praças, sorridentes, entre outros. Há ainda a possibilidade dos adversários brigarem entre si, com troca de acusações.

Justamente para evitar abusos, a Justiça Eleitoral está preparada para receber denúncias. Em plantão, os cartórios eleitorais atendem representações de advogados dos partidos e são rápidos para conceder direito de resposta.

Sobre o comportamento dos candidatos, a professora da Escola Judiciária do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Roselha Gondim dos Santos Prado, diz que é natural os eleitores escolherem seus representantes por afinidade, o que explicaria esta tendência do marketing político. Entretanto, a especialista faz o alerta. "O eleitor deve esforçar-se para escolher candidatos que tenham preocupações que são aplicáveis a todas as pessoas e não só a um pequeno grupo. Deve conhecer a carreira dele, sua atuação profissional, postura ética e conduta", ensina.

Ao eleitor indeciso, é possível um olhar atento pelo passado do candidato e ainda conhecer as propostas. "Promessas como 'vou criar milhares de empregos' são fáceis de fazer e obviamente são inviáveis de cumprir", aconselha Roselha. Estudar as propostas, analisar quem financia o candidato, ficar atento a notícias e debates entre os concorrentes, e acessar o site do TRE são recomendados.

Como denunciar abusos

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) é quem recebe as denúncias por meio do portal www.mpsc.mp.br. É preciso preencher um formulário. Outros meios são o e-mail [email protected] e os telefones 127 e (48) 3229-9306. Além de irregularidades nas eleições, confira alguns exemplos do que mais pode ser denunciado:
- Danos ao meio ambiente;
- Violação de obras históricas e culturais;
- Falta de tratamento médico ou de medicação;
- Má aplicação dos recursos públicos;
- Falta de vagas em creches e transporte escolar;
- Abuso dos direitos do consumidor;
- Violação dos direitos da criança e adolescente;
- Falta de acessibilidade em prédios públicos;
- Irregularidade na atuação de policiais.

Foto: Divulgação
Fonte: Notisul

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: [email protected]

Newsletter