65 casos de caxumba foram notificados em Criciúma

O alto número de infecções de caxumba está chamando a atenção das autoridades. Até agosto, 65 novos casos foram notificados na Vigilância Epidemiológica de Criciúma, sendo 45 de pessoas residentes no município. No mesmo período de 2015, foram 14 casos, sendo 17 durante todo o ano. Em 2014, dez notificações foram confirmadas, seis até agosto.

“Os dados não são fiéis, pois alguns hospitais não estavam notificando. A previsão é que mais pessoas tenham sido infectadas”, ressalta a enfermeira do setor de Imunização, Nilda Figueiredo Corrêa.

Além do índice de maior que dos últimos anos, o aumento da faixa etária dos infectados também preocupa. Enquanto anteriormente os casos se concentravam em crianças e adolescentes, agora está despontando também notificações em idosos.

Ainda não há confirmação do motivo para o salto de casos. A equipe técnica da vigilância suspeita que o alto número está relacionado a maior intensidade durabilidade das baixas temperaturas na região.

A caxumba é transmita por via aérea, através de gotículas de saliva ou por contato direto com alguém infectado. Os sintomas iniciais incluem febre, calafrios, dores de cabeça, musculares e ao mastigar ou engolir, além de fraqueza. Uma das principais características da doença é o aumento das glândulas salivares próximas aos ouvidos, que fazem o rosto inchar.

Caso não seja tratada, a caxumba pode causar surdez, meningite e, raramente, levar à morte. Após a puberdade, pode causar inflamação e inchaço doloroso dos testículos nos homens, ou dos ovários nas mulheres, e levar à esterilidade.

“Quem já se infectou uma vez pode se infectar novamente. Mas são raros os casos de pessoas que se infectaram mais de uma vez”, pontua a enfermeira do setor de Agravo da Vigilância Epidemiológica, Bruna Milioli.

O vírus pode ser prevenido com a vacina tripla viral, também conhecida de VTV, que além da caxumba também combate a rubéola e coqueluche. Apesar do alto índice de casos, não há nenhum mutirão de imunização programado pela Vigilância Epidemiológica.

“Todos os nossos postos de saúde mantém a vacina em seus estoques, podendo ser feita em qualquer criança ou adulto”, ressalta Bruna.

Unesc promove imunização

Em prevenção à infecção de acadêmicos e servidores, a Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (Unesc) está promovendo uma programação de imunização no campus. Os serviços iniciaram ontem pela manhã, se estendendo até a noite de quarta-feira para estudantes e demais pessoas que procurarem o serviço. Na quinta-feira, a imunização será restrita aos colaboradores.

“Até o período da tarde nos aplicamos 160 doses. Como há mais cursos na parte da noite, esperamos que aumente a procura”, salienta a coordenadora da Escola de Enfermagem da Unesc, Paula Zugno.

A imunização está disponível para todas as pessoas que procurarem o serviço.

Foto: Divulgação

Fonte: Clicatribuna

A Meu SUL surgiu em 2008 e, durante oito anos, circulou na região sul como revista. Em 2016, Meu SUL renasce como um portal de notícias cujo objetivo é levar até você informação com a credibilidade que já era encontrada nas páginas da revista. A WebTV Meu SUL também é uma novidade. Acompanhe-nos através de nossos canais e fique por dentro de tudo que acontece na região!

Av. Getulio Vargas, 504. Ap 101. Centro
CEP: 88.750-000 - Braço do Norte - SC

Telefone: +55 (48) 3658-0092

Email: [email protected]

Newsletter